O psicoterapeuta disse que sou hiperativo. A criação deste blog surgiu pouco depois de ser assim diagnosticado. Segundo o site especialista Hiperatividade (que já existia antes do meu blog, mas eu não sabia!), os portadores deste distúrbio são freqüentemente rotulados de "problemáticos", "desmotivados", "avoados", "malcriados", "indisciplinados", "irresponsáveis" ou, até mesmo, "pouco inteligentes". Mas garante que "criativo, trabalhador, energético, caloroso, inventivo, leal, sensível, confiante, divertido, observador, prático" são adjetivos que descrevem muito melhor essas pessoas. Eu, particularmente, creio que sou uma mistura disso tudo aí. Cheio de muitas idéias, muitos sonhos e muitos projetos. Muita vontade e muito trabalho. Muitas vertentes e muitas atividades. Sou editor-adjunto do Crônicas Cariocas. Não deixem de visitar minhas colunas: Cinematógrafo; Crônicas; Poesias; e HQs. Ah! Visitem o Magia Rubro Negra , site de apaixonados pelo Mengão, para o qual tive o prazer de ser convidado a fazer parte da especial equipe!!!

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Aula

Alguns amigos pedem-me umas aulinhas de inglês, apesar de minha capacidade na língua não ser das melhores. Mas, como não sou de deixar meus amigos na mão, segue um vídeo com a primeira aulinha. Espero que gostem, principalmente o Daniel, aka Malandro.

domingo, 21 de dezembro de 2008

O destino chama!

A rede ABC está exibindo um novo e empolgante comercial do primeiro episódio da quinta temporada de Lost. O vídeo tem seus tradicionais mistérios, como Locke falando de trás para a frente no início, em off. Vejam!
O pôster acima é bem interessante. Dividido ao meio mostrando quem saiu da ilha e quem ainda está lá.

Coisas do Futebol

Meu amigo Boaz Shuldiener, rubro-negro apaixonado como eu, mandou-me esta pérola de vídeo com as "coisas" do futebol. Hilário!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Gosto de Sangue

Não percam! "Gosto de Sangue", de Eirka Liporaci. Um capítulo por semana, a partir de 9 de janeiro, no Crônicas Cariocas. Resgatando a tradição dos folhetins. Mas, ao contrário dos folhetins tradicionais, não é um melodrama e sim uma história policial... ou não. Confiram!

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

O Enigma do Príncipe

Chegou o novo trailer do Enigma do Príncipe. Divirtam-se.

Lost - 5ª Temporada


A rede ABC mostrou mais um clipe do primeiro episódio da quinta temporada do programa, que mostra Jack e Ben planejando voltar à ilha. A série volta a ser exibida nos Estados Unidos em 21 de janeiro de 2009, uma quarta-feira, com um especial de três horas, começando com um clipe das temporadas anteriores e seguindo com o primeiro episódio da quinta temporada com duas horas.



segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

X-Men Origins: Wolverine

Galera, o primeiro trailer de X-Men Origins: Wolverine, que começou a ser exibido nos cinemas dos EUA na sexta-feira, agora sai online com qualidade - juntamente com o lançamento do site oficial do filme.
A prévia mostra uma seleção de mutantes, como Deadpool (Ryan Reynolds), Blob (Kevin Durand), Raposa Prateada (Lynn Collins), Dentes de Sabre (Liev Schreiber), John Wraith (Will.I.Am) e Gambit (Taylor Kitsch), que parece ter papel de destaque no filme. Danny Huston, como William Stryker, é outro que tem participação no vídeo, além, é claro, do Wolverine (Hugh Jackman).
Com direção de Gavin Hood, o filme contará a origem do mutante canadense, sua passagem pelo programa Arma X e seu relacionamento com vilões e aliados. A estréia acontece em 1º de maio de 2009.
Divirtam-se!!!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Ronaldo, traidor?

Em um primeiro momento, logo após saber que o Fenômeno havia fechado com o Corinthians, pintou aquele sentimento de frustração e de se sentir traído. Porém, pensando um pouco, começaram a surgir dúvidas sobre os porquês da atitude dele.
Raciocinem comigo, o Flamengo está brigando com a fornecedora de material esportivo, a todo-poderosa Nike. Agora, respondam a pergunta: Ronaldo é garoto-propaganda de que empresa? Pois é, a mesma Nike. Outra: qual é a empresa que fornece o material esportivo do Corinthians? Pois é, a mesma Nike.
Imaginem que o Flamengo ganhe a ação que move contra a empresa e passe a usar a marca da Olympikus. Será que a Nike permitiria que o Ronaldo, SEU garoto-propaganda, jogasse com uma camisa com a marca da concorrência? É claro que não!
Provavelmente, a Nike determinou que o Ronaldo fechasse o contrato com o Corinthians. Não duvido nada que a empresa tenha feito isso usando a ameaça de cortar seu patrocínio e que, como reforço, ainda tenha jogado na cara dele que não tomou atitude alguma quando ele se viu envolvido no escândalo dos travecos.
Não posso afirmar que isso realmente aconteceu, mas faz sentido, não faz? O Ronaldo sempre declarou seu amor ao rubro-negro, há anos. Será que o que ele fez foi pura sacanagem ou será que ele se viu forçado a fazer o que fez? O que vocês acham?
Magia Neles!!!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Galo!

Este vídeo é sinistro. Mostra vários golos do Galinho de Quintino. Cada um mais bonito que o outro.


Grande ídolo! Deu-me muitas alegrias e, ainda hoje, muito exemplo!

Sou

pintura de Helem Paschoal Vasquez

Sou um pequeno pedaço do mundo,
um mundo dentro de um mundo e de outro;
sou um pedaço complexo, profundo.

Sou difícil de entender e de mudar, cruel,
um sonho alucinado, tresloucado;
sou insólito, transgressor, um filme de Buñuel.

Sou a nova era, que logo será velha,
Sou o horizonte distorcido pela realidade,
que o imaginário, pasme, espelha;
onírico, irreal, sem paridade.

Sou o escapismo que cruzou a sua vida,
Sou aquilo que mudou o seu caminho,
a volta de algo que não teve ida;
esquecido, passado, em desalinho.

Cacos

“Eu sou trezentos,”
talvez mais,
fragmentos multiformes
juntados num monte,
que anda...
e fala... e pensa!
Um por caco.
Pensamentos plurais,
convergindo e divergindo,
juntando e separando,
e criando mais...
cacos.
Eu sou uma leva deles,
uma turba em discussão,
uma sociedade em um,
uma legião de pedaços...
de mim mesmo.
Sou isto tudo,
mas também sou nada.
“Eu sou trezentos,”
talvez mais,
e nunca basta.

Antologia 1º Concurso Crônicas Cariocas

Acabou de sair do forno a antologia 1º Concurso Crôncias Cariocas. O livro é o resultado das 17 crônicas ganhadoras do concurso promovido pela Universidade Castelo Branco e pelo portal Crônicas Cariocas.O livro traz prefácios de João Pedro Roriz e Francci Lunguinho; apresentação do professor Denilson Matos; uma poesia do escritor homenageado Cairo Trindade; posfácio de Fabrício Mohaupt; menção Honrosa para Julia Feldmam Ulry. Além dos depoimentos de: J. Carino, Marcio Paschoal, Luciano Fortunato de Elano Ribeiro.

Quer um? ENVIE UM E-MAIL PARA portalcronicascariocas@gmail.com COM NOME COMPLETO, ENDEREÇO E TELEFONE PARA CONTATO, E CONCORRA A UM EXEMPLAR DA ANTOLOGIA 1º CONCURSO CRÔNICAS CARIOCAS. PROMOÇÃO VÁLIDA PARA TODO O BRASIL.

Efêmera

O feitiço, em mim, arrefeceu.
A rosa, por si, despetalou.
O encanto, enfim, feneceu.
A quimera, por ti, acabou.

Em mim, nada mais, ficou.
Por si, tudo mais, sofreu.
Enfim, sem mais, chorou.
Por ti, nunca mais, apeteceu.

O descaso, em mim, doeu.
A magia, por si, cansou.
O coração, enfim, perdeu.
A alegria, por ti, passou.

Em mim, nada mais, restou.
Por si, tudo mais, entorpeceu.
Enfim, sem mais, abandonou.
Por ti, nunca mais, esplendeceu.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Culpa!


O Brasileirão acabou. E o que ficou? Um gosto amargo na boca. O Flamengo teve o campeonato mais fácil para ser campeão e tropeçou nas próprias pernas. Tropeçou até no que se refere a uma vaga para a sonhada Libertadores. Quem esperaria por dois tropeços seguidos do Palmeiras? Mas, nem assim, conseguimos a vaga.
E de quem é a culpa? Difícil dizer. Já discuti o assunto com vários amigos, cada um com uma opinião. Creio que a culpa é de todos. Não livro a cara de um dentro do clube. Nem de nós, torcedores. É claro que nossa culpa é por acreditar demais, por gritar o nome de Caio Jr. por causa de um jogo apenas, de gritar que Obina é melhor que Eto’o e coisas afins. Sério mesmo, nessa situação toda, é ver a apatia dos jogadores dentro do campo e de ver a ineficiência do treinador à beira dele. Porém, ainda mais sério, é constatar que nossa diretoria é, no máximo, amadora. Que faz negócios para lá de duvidosos. Percebam que estou chamando de negócios e não de negociatas, nome que seria mais correto.
Temos um presidente que fala um monte de besteiras e que posa de rainha da Inglaterra enquanto o primeiro ministro, Kléber Leite, faz os negócios mais loucos e indizíveis que podemos esperar. Isso tudo somado a um comando frouxo, em que jogadores inventam contusões, saem em vésperas de jogos importantes para farras absurdamente caras e andam em campo.
Não há compromisso com o clube por parte dos jogadores, falta esta escorada na desculpa de que são profissionais e que estão apenas cumprindo contrato. O cara assina o compromisso já pensando em se projetar e sair logo para um clube do exterior. Joga quando quer e se quiser. A única coisa certa neste negócio é que o clube fica devendo os salários, independentemente de o cara jogar o que sabe ou não, de se dedicar ou não. Culpa da difamada Lei Pelé, que abriu as portas para as negociatas e enforcou os clubes. Jogador de férias antes do término do campeonato? Não interessa se tem condições de jogo ou não. Ou é parte do grupo ou não é. Deveriam treinar e apoiar os companheiros todos os dias.
Temos um treinador que não conseguiu, em momento algum, definir o seu time. Alguém sabe o time titular do Flamengo? Já perguntei outras vezes isso, mas ainda continuo sem resposta. Enquanto ele teve o time que Joel Santana, mal ou bem, montou, conseguiu alguma coisa. Depois que perdeu algumas peças, Marcinho (na época, artilheiro), Souza (peça-chave do esquema do Joel, fazendo o papel de pivô que ninguém mais conseguiu fazer) e Renato Augusto (que nem vinha sendo muito utilizado por causa de uma série de contusões), perdeu-se também e não se encontrou mais. A saída de Souza condenou o esquema do Joel, mas Caio Jr. insistiu com ele, em vez de procurar um esquema próprio com as peças que tinha.
Alguém consegue explicar o porquê de se montar um time com Jaílton, Toró e Ayrton no meio-campo? Como pode pensar em ganhar assim? Pior ainda é ter este monte de cabeças-de-bagre (como o Fernando Calazans costuma chamas os cabeças-de-área) mais a zaga e tomar cinco golos em um único jogo. Seria cômico, não fosse trágico.
Agora, o técnico vai embora, um monte dos profissionais jogadores também e ficamos nós, os torcedores, sofrendo mais uma vez por conta de nossa paixão. Desiludidos aguardando a montagem de uma nova ilusão por esta diretoria que, no momento, está batendo cabeça, sem saber o que fazer. Resta-nos aguardar o novo técnico, o novo time (?) e pedir ao Papai Noel uma nova diretoria.
Mudando de assunto, estou zoando muitos amigos vascaínos por conta do rebaixamento, mas não queria que os caras caíssem por dois motivos: nosso estado ficou ainda mais enfraquecido na competição nacional, uma vez que somos apenas três, que é o mesmo número de times de São Paulo que subiram da segunda divisão; e, também, porque este rebaixamento tornou-se uma vitória política do Eurico Miranda, que vai usar este capítulo negro da história vascaína para tentar reaver sua posição no clube, coisa que o Dinamite não merecia. Bom, caíram. O negócio agora é zoar. O natal este ano não será bom. Ouvi dizer que o bacalhau é todo de segunda. Fazer o quê?
Magia Neles!!!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Não dá mais!!!

É inegável que Carlos Eugênio Simon prejudicou o Flamengo por conta daquele pênalti escandaloso que deixou de marcar no final do jogo e que o bandeirinha marcou um impedimento absurdo. Mais ainda, expulsou, em conseqüência direta de sua lambança, dois dos nossos jogadores que estão, automaticamente, fora do próximo jogo e da briga por uma vaga na Libertadores. Reside aí, porém, o efeito Simon, em poder deixar-nos de fora do torneio continental.
Sejamos francos e conscientes, perdemos este jogo e as chances de título para nós mesmos. As melhores jogadas do Cruzeiro esbarraram nas defesas do Bruno ou na trave. Todos os golos da Celeste saíram de falhas da nossa defesa. Vejam bem, todos!
O jogo foi aberto do início ao fim, mas o Caio Jr. não teve coragem de ousar; pior, fez alterações no mínimo equivocadas. Quando o Aírton machucou-se, deveria ter lançado o Éverton ou, pelo menos, recuado o Marcelinho Paraíba e lançado o Diego Tardelli, mas optou por lançar o Toró. No segundo tempo, resolveu lançar o Tardelli, mas tirou o Marcelinho Paraíba em vez do inoperante Obina. Sei que o xodó fez um gol depois, mas foi a única coisa que conseguiu fazer no jogo inteiro. Para piorar ainda mais, na hora de tirar o Juan, em vez de lançar o Éverton, lançou o Luizinho.
Um time que queria ser campeão não pode chutar a gol apenas seis vezes enquanto o adversário chuta vinte e duas vezes. Há algo errado nisso, não? Que me perdoem os fãs do Caio Jr., mas a culpa de estarmos fora da disputa é toda dele, por chegar ao final do campeonato sem saber qual o é o time titular, por não ter definido a formação padrão, por não ter um esquema de jogo e por ser totalmente irregular.
Agora, resta-nos fazer nosso dever: vencer os dois jogos que restam. Para podermos torcer por tropeços de Grêmio, Cruzeiro e Palmeiras. Só assim conseguiremos uma das vagas para a Libertadores. Não está fácil não. Teremos que torcer muito. Ainda bem que o Mengão tem a maior e mais apaixonada torcida do Brasil, não é mesmo?
Magia Neles!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Ainda dá!

Antes que me perguntem, não vi o jogo contra o Coritiba. Estava na faculdade e só soube do resultado. Claro que fiquei feliz com o placar de 5 a 0 e fiquei impressionado, uma vez que nos últimos dois jogos, contra Atlético-MG e Vasco, não havíamos entrado em campo. Não esperava uma vitória com um placar tão elástico.
Ontem, mais uma vez, estava na faculdade. Cheguei a tempo de ver os últimos trinta minutos de jogo e este tanto que vi, lembrou-me os jogos anteriores ao Coritiba. Que joguinho ruim!
Não consigo parar de perguntar: qual o time titular do Flamengo? Qual a formação da equipe? Jaílton é zagueiro? Marcelinho Paraíba é atacante? Por que Toró, Jaílton, Ibson e Kleberson no mesmo time? Para quê compramos um monte de meias se só jogamos com volantes? Estas perguntas atormentam-me e só consigo achar um culpado: Caio Jr.. Faltam seis jogos para o final da temporada e não há quem consiga responder às minhas indagações.
Menos mal que o Cruzeiro venceu o Grêmio e deixou vivas as nossas esperanças. Porém, saímos do G-4 e ficamos a três pontos dos líderes Grêmio e São Paulo e a dois pontos dos terceiro e quarto colocados, Cruzeiro e Palmeiras. Em teoria, o tricolor paulista leva vantagem, pois não joga mais com nenhum dos candidatos ao título, mas será que conseguirá manter sua invencibilidade que já dura doze jogos? Não é impossível, mas é improvável. O tricolor gaúcho vem em uma descendente e periga ficar de fora da briga. Nós ainda enfrentaremos a celeste e o verdão e serão jogos dificílimos, entretanto, sempre gostei mais de jogar com os líderes do que contra quem está atrás. Tenho a impressão que o Fla rende mais assim.
A rodada foi ruim por um lado, mas, por outro, deixou todos embolados na briga. Ainda podemos acreditar. Teremos três jogos no Maracanã e temos obrigação de vencer. Tarefa ingrata, visto que temos que ganhar contra a Portuguesa, o Botafogo e o Palmeiras, num jogo de seis pontos a três rodadas do final. Difícil, mas eu creio que temos chances de conseguir. É necessário que a torcida apóie como apoiou na reta final do brasileiro passado.
Magia neles!!!

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Lost - 5ª Temporada

Galera, a nova temporada só estréia no início de 2009, mas, para dar um gostinho, saiu um trailer. O gosto é bom!
Quem não terminou de ver a quarta temporada, cuidado! Há pequenos spoilers para quem se encontra nesta situação. Agora, venhamos e convenhamos, não viu por quê?

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Rodada Boa!

Domingo, futebol, cerveja e bolinho de bacalhau. É sempre bom ganhar do pessoal da colina. Não importa se com gol de mão aos 48 do segundo tempo ou com um golzinho contra no fim do primeiro tempo. A caravela está afundando!!! E eu sigo cantando o sucesso da Luka: “Tô nem aí! Tô nem aí!”.
Mas, venhamos e convenhamos, o Mengão jogou muito pouco, muito aquém de suas possibilidades. A saída de bola já foi errada e quase proporcionou vantagem ao bacalhau. Não entendo o que está acontecendo. São muitos passes errados, muitas jogadas equivocadas. Mesmo os laterais estão abaixo do nível costumeiro. É certo que o time não consegue formar-se. No próximo jogo, não jogam Fábio Luciano e Juan. E a equipe vem toda diferente mais uma vez. Espero que o Caio Jr. coloque o Luizinho na lateral.
Faltam oito rodadas e não sabemos dizer qual é o time titular e, tampouco, a formação com que joga. Marcelinho Paraíba é atacante ou meia? Jogamos com dois atacantes ou com um só? Estas indefinições, por culpa do técnico ou não, prejudicam a campanha. Poderíamos estar brigando pelo primeiro lugar e não por uma posição no G4. Temos chance de título, mas temos que melhorar muito. Se o time dos caras não fosse fraco, teríamos levado uma pancada. Chutamos pouco a gol e o Bruno fez defesas muito boas, uma delas milagrosa.
A rodada foi muito favorável: nós ganhamos, o Grêmio perdeu e o Palmeiras e o São Paulo empataram. Resultado: estamos a apenas um ponto do G4 e a apenas quatro do líder. O único resultado desfavorável foi a vitória do Cruzeiro sobre o Atlético-MG, o que dá um sabor ainda mais amargo ao revés que sofremos na rodada passada. Mas vamos olhar para frente porque dá para chegar lá.
Ficou ainda mais fácil de acreditar no título, não?
Rumo ao hexa!!!
Magia neles!!!

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Sensacional!!!

Esta vai para o meu amigo Lex.


Eram domingos de pura magia, meu caro! Por isso, nunca mais me animei para assistir às corridas. Vejo uma ou outra e, mesmo assim, aos pedaços. É engraçado como ainda hoje bate uma tristeza ao falar sobre este cara. Acho que foi o meu maior ídolo. O único que se compara é o Galinho de Quintino, mas é outro esporte. A fórmula 1, para mim, nunca mais foi a mesma coisa.

This is England

Este é o meu outro favorito do Festival do Rio 2008.
Fazia tempo que um filme não mexia comigo como This is England conseguiu. Saí da sessão pensativo, cheio de vontade de voltar e assistir de novo. Não bastasse uma ambientação histórica muito bem feita e uma seleção de canções de fazer cair o queixo, a história do jovem Shaun comove e nos faz pensar na importância da figura paterna na nossa vida. O que sua ausência pode promover, aonde uma busca por substituição pode levar-nos. Não consegui parar de pensar em meu pai e em meus filhos até agora.
A história, baseada em eventos da infância do diretor e roteirista Shane Meadows, é de uma sensibilidade arrebatadora. O jovem ator Thomas Turgoose transmite uma emoção muito difícil de lidar e merece muitos louros pelo seu trabalho. É uma história simples, bela e cheia de filosofias, dualidades e conflitos éticos e morais. Em momento algum é didático ou patriota demais. This is England é acima de tudo auto-crítica, mostrando o que há de bom e o que há de ruim naquela Ilha.
Filmaço! Um dos melhores que vi no Festival e foi, creio, oportunidade única, pois não deve entrar no circuito nacional. É daqueles para se guardar em destaque nas prateleiras da memória.

A sinopse: “Shaun tem 12 anos e vive com a mãe em uma pequena cidade costeira na Inglaterra, em 1983. Solitário, sofre com a ausência do pai, morto na Guerra das Malvinas. No começo das férias escolares, conhece uma gangue de skinheads, na qual encontra a amizade e os modelos de comportamento que procurava. Numa festa, é apresentado a Combo, skinhead mais velho que acabou de sair da prisão e o adota como protegido. A postura racista do homem impressiona os jovens, mas todos o admiram, e logo a gangue começa a aterrorizar as minorias étnicas da vizinhança.”

O Menino do Pijama Listrado

Um dos meus favoritos no Festival do Rio 2008.
O menino do pijama listrado é um filme notável. Simples, mas soberbo. Uma história comovente, inacreditável e surpreendente. Os diálogos são maravilhosos, com finas e sutis ironias. David Thewlis e Vera Farmiga estão ótimos como os pais do menino, vivendo um casamento abalado pela posição que o marido alcançou.

O garoto que interpreta o infante Bruno é ótimo. Seu personagem é cativante, pela sede de aventura, pela meninice, pela curiosidade e pela inocência. Há momentos doces e deliciosos no filme, mas a mentira, ainda que contada para proteger o menino do mundo dos adultos, acaba por levar a um caminho sem volta.
O contraste entre a inocência de Bruno e o sofrimento de Shmuel é algo que impressiona. Mundos tão distantes separados por uma cerca de arame eletrificada. Entretanto, nada impede que uma grande amizade floresça daquilo que seria o improvável. Realmente belo!
Mais um filme com um protagonista muito jovem que mexe muito comigo. Este não é tão denso quanto This Is England, mas sua construção e seu desfecho fazem-nos marejar os olhos. Na verdade, havia gente chorando copiosamente na sessão. É pura emoção!


A sinopse: “Alemanha, 1940. Bruno tem oito anos e vive com sua família em Berlim. Quando seu pai, um oficial nazista, é promovido, ele é obrigado a abandonar seus amigos e se mudar para uma região deserta onde não há nada para fazer. Um dia, o menino ignora a proibição da mãe e anda até um misterioso local cercado, onde todos usam roupas listradas. Lá, ele conhece Shmuel, um garoto de sua idade que vive do outro lado da cerca. Os dois desenvolvem uma amizade proibida, que terminará por introduzir Bruno no terrível mundo dos adultos. Baseado no livro homônimo de John Boyne.”

Corrida Mortal

Trailer legendado do filme Corrida Mortal, cortesia da Universal Pictures Brasil.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Padrão de Beleza

Adorei este vídeo. Uma grande mensagem!

Prostração


Em algum lugar, em algum instante,
Amores passados, presentes, futuros,
Em que o coração de alguém se encante.

Viver e sofrer no inferno de Dante,
Vomitando quimeras, sonhos morituros,
Buscando carinho e consolo na bacante.

Sem juras, esperança ou lenitivo,
Pra sentimentos não há corretivo,
Não importa se está o espírito ativo,
Tudo no corpo físico é aflitivo.

Não há loucura que me alucine,
Insano já me encontrava a limine,
Alienado, nada há que alumine,
Breu e solidão é o que fica in fine.

Nativo

Não sou brasileiro!
Sou mais antigo que isso.
Não havia Brasil ou cruzeiro,
Apenas a terra que piso.
Matas-virgens, água e caça,
Num tempo em que éramos tantos.
Nada de óleo, fumaça ou raça.
Antes do branco, seu Cristo, seus santos.
Massacrado, conquistado, catequizado.
Com a alcunha de índio, nomeado.
Destituído, humilhado, segregado.
Hoje, com um dia, celebrado.
Por vergonha, culpa, homenageado.
Lírico, folclórico, belo e enganado.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Ofélia!

Deus meu! O cara deve estar ficando senil. Só pode ser isso. Será que não aprendemos a lição com o América do México? Convocar a torcida é uma coisa, pagar mico é outra! Como já disse Romário, sobre outra pessoa, há um tempo atrás: “Calado, é um poeta!”. Será que não vê que ao fazer este tipo de coisa ele sobrecarrega o time com uma pressão desnecessária? Que nós, a torcida, vamos cobrar? Que os times adversários jogarão com ainda mais afinco porque mexeram com o brio deles? Ou é cego ou é burro ou, no mínimo, é louco!
Não basta o vexame da despedida do Joel, com festa, bebedeira, pagode e confete? O próprio Natalino avisou sobre o oba-oba antes do jogo. Mas não, tinha que haver uma grande festa. Se ela teve a ver com a derrota e o vexame, não importa! O mico continua o mesmo. Mas o louco deve gostar dos bichinhos. Vive procurando um!
Não é que não confio que possamos conquistar o título, não é isso mesmo. Acredito que temos time para isso, mas nem sempre o melhor ou o mais preparado ou o mais sortudo vence. Já vimos isso. Este ano então, que, pela primeira vez na era dos pontos corridos, há tantos times lutando pelo título. Sou do time que acredita que não se deve cantar vitória antes da hora. Não o faria nem se estivesse quatro pontos à frente; imagina estando quatro pontos atrás. Romário é uma raposa; a frase que ele usou para falar sobre o seu desafeto serve como uma luva agora.
Não precisamos mexer com o brio das outras equipes e das outras torcidas. Só temos que fazer nosso trabalho. A torcida irá ao Maraca porque o time está lutando, conseguiu três vitórias seguidas e está embalado. Para quê jogar tanta pressão em cima dos jogadores? Para quê contaminar a torcida e a fazer cobrar ainda mais? O cara é o Presidente do Clube; deveria ter um mínimo de discernimento, de noção. Mas não, tem que abrir a boca para falar besteira. Sempre! Só há uma coisa a dizer: “Cala a boca, Ofélia!”.
Magia Neles!

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Rumo ao Hexa!!!

O Flamengo deu um passo muito importante no último jogo. Na base da superação, conseguiu três pontos importantíssimos na luta para conquistar o hexa. Manteve-se no chamado G4, empatado com o terceiro colocado, o Cruzeiro, e a quatro pontos do primeiro e do segundo colocados, o Palmeiras e o Grêmio. As chances de encostar nos líderes aumentaram e, se passar com vitória pelo Náutico, nos aflitos, no próximo sábado, poderá encostar de vez, se o Atlético-MG, o Botafogo e o Sport conseguirem arrancar pelo menos um empate com os líderes. É claro que a tarefa do Flamengo é mais difícil, pois joga na casa do adversário, enquanto Palmeiras, Grêmio e até mesmo o Cruzeiro jogam em casa. Mas é na dificuldade que o Flamengo sempre se supera.
O Ibson que me perdoe. Sei que foi muito importante para a arrancada que tivemos no ano passado, mas, neste ano, ficou muito aquém do jogador que foi na temporada passada. Ele está muito irregular e não consigo entender porque faz tanta cara feia ao ser substituído. Para completar, o Vandinho entrou em seu lugar com uma vontade enorme e com a estrela brilhando. Entrou e, em dois lances, levou o Flamengo a uma vitória que manteve viva a luta pelo hexa. Uma derrota no sábado poderia ter-nos deixado mais distantes do sonho e, com certeza, fora do grupo dos líderes. É hora de pensar no conjunto, no grupo, no time e no clube. Não é hora para vaidades. Muito menos as descabidas.
O nosso time está em formação e é sério candidato a ser o grande time da próxima temporada, se a diretoria conseguir mantê-lo. Peças que desagregam não são boas, nunca. Gosto do futebol do Jônatas, por exemplo, mas quando ele não está desleixado. O grande problema dele é o ego que, muitas vezes, deixa-o displicente. Não gostava do futebol do Jaílton e do Ronaldo Angelim, mas a dedicação deles vem conquistando minha admiração. A evolução deles é visível e isso se dá, em muito, pela falta de vaidade e pela determinação. Enfim, o mais importante é pensar no time, é pensar grande. Ser vaidoso é ser pequeno e não há espaço para pequenos no Flamengo.
Faço votos para que Ibson e Jônatas reencontrem o futebol que sabem jogar e que deixem de lado o individualismo que têm demonstrado. Que saibam reconhecer quando não estão bem e que aceitem, como profissionais que são, as substituições que se fazem necessárias. Caio Jr. tem um grupo bom nas mãos, um dos melhores dos últimos anos. Que ele consiga driblar estes pequenos problemas e que consiga trazer-nos grandes alegrias. É só jogar com raça que a torcida fica sempre a favor. É só ser Flamengo, respeitar o manto sagrado e suar sangue rubro-negro! Flamengo é vontade, é determinação, é raça!
Magia neles!
SRN!

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Ser Flamengo!


Pediram-me que fizesse um texto sobre o Flamengo. Sentei de frente ao computador e fiquei olhando para a tela. Olhava para o branco do papel do Word imaginando por onde começar. Será que deveria começar falando sobre a época em que Zico jogava e que foi a magia daquele Flamengo que me conquistou? Do último brasileiro conquistado por um time desacreditado capitaneado pelo maestro Júnior? Da época pós-copa de 94 na qual Romário veio para mostrar que sempre foi rubro-negro? Do último tri-campeonato, em que cada conquista foi em cima do rival mais amado, aquele da colina que em finais só nos dá alegrias? Do último bi-campeonato, em que cada conquista foi em cima do vice da vez, aquele da estrela solitária?
Pensei, pensei e pensei. Cheguei à conclusão de que falar sobre o Flamengo é falar sobre minha vida, pois a presença rubro-negra é constante. Não há um só dia em que eu não fale nessa paixão. Em que eu não busque notícias. Em que eu não me emocione de alguma forma. Em que eu não brinque com um torcedor rival ou que eles não brinquem comigo. Creio que é a relação mais duradoura que já tive e terei. O impressionante é que o amor só aumenta. É o único amor que, mesmo diante das mais expressivas decepções, não arrefece, muito menos fenece.
Ser rubro-negro é ser parte de algo gigantesco, que não pode ser mensurado. Não há torcida maior, mais apaixonada, mais bonita ou mais vibrante. Os arcoirianos reconhecem isso. Mesmo que digam bobagens sobre sermos um bando de pobres selvagens. O Flamengo é popular mesmo, mas é popular em qualquer classe social. É o clube de maior torcida em qualquer setor social, do mais rico ao mais pobre. Infelizmente, vivemos em um país em que a pobreza é dominante, mas, nem por isso, você vê o mais miserável cidadão rubro-negro esconder as cores da sua nação, mesmo nos momentos mais difíceis. Nossa camisa, nosso manto, cheira a suor e sangue rubro-negro, nunca a naftalina como as da maioria dos arcoirianos.Ser Flamengo é motivo de orgulho! É ter diversas músicas de artistas famosos cantando sua paixão. É ter tradição, amor e raça! É, mesmo quando ele não vai bem, ser feliz! É gritar ao mundo que não há clube mais amado e que nunca haverá. É dizer que somos uma nação e não haver contestação porque não há argumentos que isto consigam. É vir, ver e vencer! Seja na terra, seja no mar. É ser uma vez para ser sempre. Ser Flamengo é, em suma, o mesmo que viver!Magia Neles!

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Em falta

Pessoal,
estou tremendamente relaxado com o blog. Não escrevo há dias e não visito os blogs dos meus amigos há mais de um mês. Imperdoável!
Não tenho andado muito inspirado e muitas coisas têm acontecido ao mesmo tempo. Quase não há tempo, mesmo que o dia tivesse 28 horas. Não é desculpa, apenas uma explicação.
O jogo de ontem com o líder Grêmio renovou minhas esperanças no Mengão. Pelo menos jogou com vontade, que é o mínimo que se espera de um time que veste o manto sagrado. O jogo foi ótimo e qualquer um dos dois poderia ter vencido. Meus amigos gremistas que me perdoem, mas foi muito bom ver o Mengão ganhar. Vocês têm gordura para queimar.
Para assistir ao jogo foi necessário malabarismo. O primogênito querendo que eu visse com ele as figurinhas dos álbuns que coleciona e o mais novo escalando as costas do mais velho e as minhas. Não satisfeito, ainda distribuiu beliscões em mim e no irmão mais velho. Ainda jantei em frente à TV. O que a gente não faz pelo Mengão.
Recebi o vídeo abaixo por e-mail e resolvi colocar aqui. Ri horrores com ele.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Watchmen


Vocês já viram o trailer do filme baseado na Graphic Novel mais aclamada de todos os tempos? Não sabem qual? Não acredito! O frase ficou famosa: "Quem vigia os vigilantes?". Trata-se de Watchmen, obra-prima dos quadrinhos, Alan Moore e Dave Gibbons. O filme é dirigido por Zack Snyder, o mesmo que adaptou 300 ao cinema. O trailer promete um grande filme. Cliquem aqui e vejam se estou exagerando.

Sensibilidade

Sei que é o Dia dos Pais que está chegando, mas achei esta propaganda institucional de uma sensibilidade enorme e não resisti a postá-la aqui.

Pocotó

Olhem o que eu tenho que aturar por causa da paixão que os arco-irianos não entendem, são incapazes de sentir e morrem de inveja de nós. Os caras pegam um funk, que por si só é uma merda bem grande, e fazem esta coisa ridícula aí embaixo. Mas, para não dizerem que não aceito críticas, posto aqui.
Menguinho Pocotó
Vou mandando um abraço
pro Obina e pro Toró!
Só nao posso esquecer,
é do Menguinho pocotó
Pocotó, pocotó, pocotó, pocotó!
É o Menguinho pocotó!
Vi o Bruno e o Marcinho,
Chamando as primas pro forró!
Mas quando eles foram ver,
Eram o Tardelli e o Toró!!!
Pocotó, pocotó, pocotó,
lá vem o Menguinho pocotó!
Há uma semana era líder,
Hoje já não tá mais só.
É cavalo paraguaio?
Ou Menguinho pocotó?
Pocotó, pocotó, pocotó...
É o Menguinho pocotó!
Se ferrou contra o Vitória!
Contra o Cruzeiro até deu dó!
Caio Júnior quis ficar,
E tomou no fiofó !!!!!
Pocotó, pocotó, pocotó...
É o Menguinho pocotó!
O Felipe vem chegando,
E dizem que não está só,
Tá trazendo o grande Love
Eu não sei quem é pior!!!
Pocotó, pocotó, pocotó...
É o Menguinho pocotó!
O Marcinho já deu linha,
O Souza fez bem melhor,
Saiu antes de afundar
Com o Menguinho pocotó...
Pocotó, pocotó, pocotó...
É o Menguinho pocotó!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Vacilão!!!

Estou no erro, galera! Uma semana sem escrever no blog é muita coisa, sou um verdadeiro vacilão. Nem escrevi sobre a porrada que o Mengão deu no Vasquinho. Imperdoável! Foi um domingo perfeito: 3 a 1 no bacalhau, 5 pontos de vantagem sobre o segundo colocado e um saldo de gols de causar inveja.

Entretanto, estou de volta com notícia boa. Hoje foi publicada a minha crítica para o filme Batman - O Cavaleiro das Trevas. Leiam e me digam o que acharam. É só clicar aqui.

Mas não fui o único do site Crônicas Cariocas a assistir ao filme. Minha madrinha Erika Liporaci assistiu e também fez a sua crítica, assim como o amigo Rafael Ferraz escreveu a dele.

Não vou comentar coisa alguma aqui para vocês não deixarem de ler o que escrevemos. Só vou dizer uma coisa: foi a primeira vez que eu vi uma sessão especial para a imprensa cheia de jornalistas que aplaudiram ao filme que assistiram; não apenas uma vez, mas duas. Foi impressionante.

O que estão esperando? É só ir ao site do Crônicas Cariocas!

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Um pontinho!

O Flamengo fez um bom primeiro tempo, com direito a um belo gol do artilheiro do brasileiro, Marcinho, apesar deste meio campo péssimo com Jaílton, Klebérson, Toró e Jônatas, todos volantes. Em compensação, que segundo tempo horroroso. Com um Jônatas discplicente e um Klebérson errando tudo, fica difícil de assistir. As substituições que o Caio Jr. promoveu deixaram o meio campo totalmente desfigurado, sem quaisquer resquícios de entrosamento. A entrada de Erick Flores e sua primeira jogada até animaram, mas, depois, o garoto sumiu de campo. Luizinho não foi um bom sustituto para Leonardo Moura.

A inesperada venda de Renato Augusto e a não regularização de Ibson deixaram o técnico com poucas opções. Erick Flores é uma grande promessa, mas ainda não tem condições de assumir uma responsabilidade tão grande como a camisa 10, até porque ainda é muito franzino. É importante que o Flamengo contrate um bom armador e com uma certa urgência. Se possível, dois. Assim como um bom atacante. Marcinho, hoje, jogou sozinho. Obina esteve mal, sem estrela e não é um bom jogador por mais que seja xodó da torcida.

Menos mal que foi um empate, pois, pelo segundo tempo, o Atlético Mineiro merecia até a vitória. Acertaram, inclusive, um bonito chute na trave. Não vou reclamar do pênalti não marcado em Juan apenas porque também houve um não marcado para o outro lado, mas foram muitos erros da arbitragem, especialmente em impedimentos que não existiram.

A verdade é que o Flamengo não pode contar com a sorte sempre. A venda do Renato Augusto enfraquece a equipe e a reposição de uma peça de qualidade faz-se imprescindível. Isso, sem contar que o rubro-negro já precisava de um armador antes. Como já disse, de preferência, um bom batedor de faltas.

O Flamengo segue líder, mas viu sua vantagem em relação ao segundo colocado cair de cinco para três pontos. Entretanto,...
Eu acredito! Rumo ao Hexa!

SRN!

terça-feira, 8 de julho de 2008

Está chegando a Hora!

O filme mais aguardado do ano, pelo menos por mim, estréia dia 18 de julho de 2008. Entretanto, quiseram os deuses que eu fizesse parte da equipe de críticos do Crônicas Cariocas e, por causa disso, verei o filme um pouquinho antes, numa sessão especial para a imprensa, no dia 11 de julho. Uma semana antes. Ainda assim, estou ansioso à beça, o que vem testando a minha força de vontade com o meu regime. Podem deixar que eu colocarei a crítica no ar no mesmo dia, isso se eu conseguir recuperar-me da emoção. Por enquanto, curtam o novo trailer:

A maldade continua!


Quem mandou deixar o Dodô no banco?

sábado, 5 de julho de 2008

Sábado Feliz!

O Flamengo cresceu muito com Caio Jr.. É impressionante a evolução da equipe em termos de conjunto e de padrão de jogo. Que me perdoe o Natalino, dono de uma grande estrela, mas eu gosto muito mais do Flamengo de agora.
Hoje, com o apoio de mais de quarenta e sete mil torcedores e de um torcedor especial, o eterno ídolo Zico, o rubro-negro foi muito superior ao Náutico, principalmente nos vinte minutos iniciais, em que construiu sua vitória. Os jogadores a queriam com determinação e, embora tenham pisado no freio depois do terceiro gol, insistiram em manter a bola no ataque, buscando, na boa, o quarto.
Estava preocupado com as ausências do Fábio Luciano, por suspensão, e do Ibson, por falta de contrato. Entretanto, o que se viu, foi um Dininho fazendo uma ótima estréia, muito segura, e um Kléberson que parece estar reencontrando seu futebol e que, se assim for, permitirá que o técnico e a torcida fiquem menos preocupados com a saída de Ibson.
Destaque também para Renato Augusto que subiu de produção, lembrando, em alguns momentos, o bom jogador que é. É chover no molhado falar sobre os laterais, mas vá lá: Juan e Léo Moura participaram ativamente do jogo, criando as melhores jogadas, principalmente com os cruzamentos do primeiro quase na linha de fundo. O segundo fez o primeiro gol e criou muitas oportunidades.
Marcinho reencontrou o caminho das redes, uma vez que não marcava a três jogos, e alcançou os artilheiros da competição. Foi incansável, embora, em alguns momentos, tenha fomeado e perdido algumas oportunidades de servir companheiros em melhores condições. Entretanto, o cara tem crédito.Foi uma grande vitória, uma vitória de líder, daquele que tem a melhor média de aproveitamento, o ataque mais positivo, o melhor saldo de gols, um dos artilheiros da competição e que, independente dos jogos de amanhã, é o líder do campeonato depois de nove rodadas.
Aliás, é o melhor começo de campeonato que o Flamengo faz desde 1979. Realmente, muito promissor. É claro que há, ainda, muito campeonato pela frente e que ainda é muito cedo para se festejar qualquer coisa, mas a esperança do grito de hexa cresce a cada jogo, ficando a certeza de que o caminho está sendo bem percorrido.
Não significa, porém, que o Flamengo tem um grande time, mas que, pelo menos, está tornando-se, depois de muito tempo, uma verdadeira equipe. Com boas jogadas e boa pegada. Faltam, ao meu ver, um bom atacante, um armador objetivo e um bom batedor de faltas. Creio que, se resistir às investidas estrangeiras, que fatalmente haverá, mantendo seus jogadores e contratando mais dois com as características acima mencionadas, o Fla tem tudo para erguer a taça este ano. É cedo ainda. Só jogamos nove rodadas de trinta e oito. Há um longo e árduo trabalho pela frente, mas é necessário acreditar. As pessoas dizem que Renato Gaúcho é arrogante quando diz que vai ser campeão. Pode ser que seja, mas, mesmo com toda a sua marra, ele passa esta crença a seus comandados. É uma postura que falta ao Cuca, ex-técnico do Botafogo, por exemplo. Em todas as finais que disputou, sempre disse que lutaria pelo título, mas nunca que o ganharia. Humildade demais é tão ruim quanto a arrogância demasiada. Acreditar é sempre o primeiro passo de qualquer conquista.
Eu acredito! Rumo ao Hexa!
SRN!



Castelo Cultural

Galera, dia 7 de julho, às 14 horas, estreará, pela rádio Rio de Janeiro, 1400 AM, o programa Castelo Cultural. Trata-se de uma realização da Universidade Castelo Branco em conjunto com o Portal Crônicas Cariocas e será apresentado por João Pedro Roriz e por Francci Lunguinho.
É um programa voltado para a cultura em seus diversos segmentos. Confiram!
Participarei dos programas dos dias 7 e 14 de julho. Prestigiem!

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Postura

Recebi, hoje, de uma amiga, por e-mail, um vídeo bem bacana. As imagens são fragmentos de outros vídeos e filmes, com uma música de James Blunt e um texto narrado. Muitos de vocês devem conhecer, ainda assim, resolvi postar aqui.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Eagle Eye - Teaser e Trailer

Nas cópias de Indiana Jones que chegaram ao cinema foi anexado o primeiro teaser do suspense policial Eagle Eye, com Shia LaBeouf e Michelle Monaghan. A Paramount liberou, agora, um trailer muito promissor do thriller de D.J. Caruso. Os personagens de LaBeouf e de Monaghan são, aparentemente, pessoas comuns que são jogadas em um perigosa situação por uma mulher que fala com eles apenas por telefone. Rosario Dawson, Billy Bob Thornton e Michael Chiklis também estão no elenco. Eagle Eye estréia em 26 de setembro nos EUA e em 10 de outubro no Brasil, com o título Controle Absoluto.
O Teaser:

O Trailer:

segunda-feira, 23 de junho de 2008

The Dark Knight

E por falar em pôster, já viram o novo do filme The Dark Knight, a nova aventura do Batman? O pôster mostra Heath Ledger como o Palhaço do Crime, o Coringa. A imagem é sinistra e não é gíria, não. É de arrepiar mesmo. Se quiserem vê-la maior, cliquem aqui.

The Spirit

Neste fim de semana, saíram novos pôsteres do filme de estréia de Frank Miller na direção, The Spirit, sobre um misterioso combatente do crime que aparentemente retorna dos mortos para salvar a "cidade que grita".
O primeiro, apresenta Jaime King como Lorelei, descrita na sinopse oficial como "a phantom siren", algo como "uma sereia fantasma". O segundo, apresenta Sarah Paulson como Ellen Dolan, the complicada filha do Comissário de Polícia da Cidade.
Os pôsteres são muito bonitos. Clique neles para vê-los em tamanho maior.
Antes destes, outras belezuras já haviam saído em pôsteres, Scarlett Johansson como Silken Floss e Eva Mendes como Sand Saref.

É muita mulher bonita reunida, não? Se quiserem ouvi-las falando as frases que estão escritas em seus rostos, cliquem aqui.
Se quiser saber mais sobre o filme ou assisitr ao teaser trailer, leia a postagem "Minha Cidade Grita", é só clicar aqui.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Wanted - Video 2

A Paramount Pictures está fazendo uma divulgação um tanto quanto perigosa de O Procurado (Wanted, no original), adaptação para as telas da HQ de Mark Millar e J.G. Jones. Na última postagem, coloquei o link para um clipe da cena em que um cara pula de um prédio a outro em Nova York com a janela estilhaçada na cara. Agora, resolveu disponibilizar a continuação da cena. É bem legal, mas, se continuar neste ritmo, teremos pouco para ver no cinema até 22 de agosto. De qualquer forma, assistam aqui.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Wanted - Video

A Universal Pictures adiou o lançamento de seu altamente esperado thriller de fantasia e ação O PROCURADO. O filme será lançado nos EUA na sexta-feira de 27 de junho, mas, no Brasil, a data foi alterada para 22 de agosto.
O filme traz James McAvoy (DESEJO E REPARAÇÃO), Morgan Freeman (ANTES DE PARTIR), Common (O GÂNGSTER) e Angelina Jolie (SR. E SRA. SMITH) como integrantes de uma sociedade secreta que executa as ordens do destino. É o primeiro filme em inglês dirigido pelo pioneiro russo Timur Bekmambetov, criador de GUARDIÕES DA NOITE — a franquia de filmes de maior sucesso na história da Rússia. Baseado na explosiva série de história em quadrinhos de Mark Millar, o filme é produzido por Marc Platt (LEGALMENTE LOIRA), Jason Netter (PAINKILLER JANE), Jim Lemley (INVENCÍVEL) e Iain Smith (FILHOS DA ESPERANÇA).
O PROCURADO conta a história da transformação de um apático zé-ninguém em um justiceiro sem igual. Em 2008, o mundo será apresentado ao herói de uma nova geração: Wesley Gibson.
O personagem de 25 anos Wes (James McAvoy) é um simples – e imprestável – trabalhador “de baia”, o mais sem graça do mundo. Seu chefe grita com ele o tempo todo, sua namorada ignora-o rotineiramente e sua vida arrasta-se sem fim. Todos estão certos de que esse fracassado não tem valor. E há pouco que Wes possa fazer, a não ser esperar o passar dos dias e morrer batendo cartão em sua lenta rotina.
Até ele conhecer uma mulher chamada Fox (Angelina Jolie).
Depois que o desaparecido pai de Wes é assassinado, a sexy Fox recruta-o para a Fraternidade, uma sociedade secreta que treina o rapaz para vingar a morte do pai, revelando seus poderes adormecidos. Enquanto Fox ensina-o a desenvolver grande agilidade e reflexos tão rápidos quanto um raio, Wes descobre que esse grupo vive de acordo com um antigo código que não pode ser quebrado: executar as ordens de morte dadas pelo próprio destino.
Com tutores perversamente brilhantes — incluindo o enigmático líder da fraternidade, Sloan (Morgan Freeman) — Wes começa a usufruir de toda a força que sempre quis. Mas, lentamente, ele passa a perceber que há mais por trás de seus sócios do que consegue enxergar. E, enquanto oscila entre heroísmo e vingança, Wes aprenderá o que ninguém pode ensiná-lo: que ele mesmo tem controle de seu destino.
A Paramount Pictures soltou mais um clipe da adaptação para as telas da HQ de Mark Millar e J.G. Jones. É aquela cena em que um cara pula de um prédio a outro em Nova York com a janela estilhaçada na cara. Só aparece um pedaço no trailer, mas aqui, é completa e é bem bacana. Vejam aqui.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Valentino!

Hoje é o dia de Valentino, o dia dos namorados! Já deram beijos de parabéns hoje? E presentes? Eu dei beijos, lembrancinha e almocei com aquela que é a minha namorada há 15 anos. Tudo de bom!
Hoje foi publicado meu texto sobre o filme O Incrível Hulk. Não deixem de ler e de opinar, é só clicar aqui e depois voltar. Vocês podem pensar que falar neste filme hoje não combina, mas há a história de amor de Bruce Banner e Betty Ross. Trouxe um desenho do Hulk feito pelo Dale Keown que eu acho muito bacana.
Para completar, nesta data, foi lançado, também, o trailer do novo filme baseado no Justiceiro, outro personagem da Marvel. O personagem já foi adaptado para o cinema em duas ocasiões: O Justiceiro (1989) e O Justiceiro (2004); sendo o primeiro um fracasso total e o segundo, embora muito superior ao primeiro, apenas mediano. O trailer é curto e mostra muito pouco, mas parece que dá para esperar bastante ação. Vejam!

terça-feira, 10 de junho de 2008

Tarja Vermelha!

Hoje, estava na cabine de imprensa de O Incrível Hulk e, como não podia deixar de ser, antes da sessão começar, estava conversando com outros cinéfilos, entre eles, o Fábio Rego Barros, que escreve para a JP Revistas. Lembramos de alguns filmes e do fato de que não houve cabine de imprensa para o filme Fim dos Tempos, o novo de M. Night Shyamalan, consagrado por O Sexto Sentido. Ao falar sobre isso, lembramos do trailer deste filme e que ele vem precedido por um quadro vermelho em vez do verde usual. Por pura falta de atenção, não lembrávamos o porquê do vermelho. Após especular, chegamos à conclusão que era por conta do impacto violento das cenas. Estávamos certos: a tarja vermelha indica que o filme ou, no caso, o trailer não é recomendado para menores de idade. Hoje, também, saiu o novo trailer de O Procurado, cuja estréia estava prevista para junho e foi adiada para agosto, e ele também veio com a tal tarja.

Mas qual o motivo para que estes dois trailers venham assim classificados? No caso de Fim dos Tempos, é fácil! Ele é de arrepiar, com cenas fortes e assustadoras. Olhem aí:


Quanto a O Procurado, não há muita diferença desse para os outros, uma pouco mais de sangue e um motherfucker dito por Morgan Freeman. Vejam por si mesmos:

Espero que gostem. E o Hulk? Ainda não escrevi o texto, mas entre hoje e amanhã estará pronto. Sairá, como sempre, no Crônicas Cariocas.

Saudações!!!

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Telinha!

Neste fim de semana, entre outras coisas, diverti-me com duas séries cujos boxes comprei em promoção. Um foi o da terceira temporada de A Sete Palmos e o outro, House,M.D.. Dois boxes, duas excelentes séries. A primeira foi criada por Alan Ball, o escritor ganhador do Oscar por Beleza Americana, e gira em torno de uma família que tem como negócio uma agência funerária. A série mostra um drama convencional de família, lidando com assuntos como infidelidade, homossexualidade, drogas e religião. Ao mesmo tempo, é uma distinta série que aborda com outro prisma o tópico da morte, explorando seus múltiplos níveis (pessoal, religioso e filosófico), não a tratando apenas como um mero ímpeto conveniente para a solução de um assassinato. Cada episódio inicia-se com uma morte de um "cliente" da funerária. Esta morte geralmente dá o tom de cada episódio, permitindo aos personagens que reflitam sobre suas vidas e infortúnios. Foi eleita a Melhor Série Drama de 2002 pelo Globo de Ouro, e é vencedora de seis prêmios Emmy. A quinta temporada é a última, completando 63 episódios. A segunda, eu comecei a assistir à primeira temporada agora, mas devorei o primeiro disco com quatro episódios. Criada por David Shore, ela gira em torno de seu personagem principal, Dr. Gregory House (daí o nome da série), interpretado pelo ator inglês Hugh Laurie. House é um infectologista e nefrologista, chefe do Departamento de Medicina Diagnóstica, que se destaca não só pela capacidade de elaborar excelentes diagnósticos diferenciais, como também pelo seu mau-humor, ceticismo, sarcasmo e pelo seu distanciamento dos pacientes, já que ele considera completamente desnecessário interagir com qualquer um deles. A ação passa-se num hospital ficcional chamado Princeton-Plainsboro, em Princeton, New Jersey. Os episódios começam fora do hospital com pessoas anônimas com sintomas de uma doença incomum tratada em cada um desses episódios. Estes casos chegam às mãos do médico após terem passado por diagnósticos falhos. Apesar de serem raras, estas doenças são reais. Quando a equipe assume o paciente, iniciam o diagnóstico diferencial. Foi eleita a Melhor Série Drama de 2007 e de 2008 pelo Globo de Ouro, assim como Hugh Lauire foi eleito o melhor intérprete numa série de drama de 2007 e de 2008. É vencedora de diversos outros prêmios. Há três de quatro temporadas produzidas, em DVD, aqui no Brasil. A quinta temporada já foi anunciada e tem estréia prevista para setembro próximo.
É diversão garantida e não é à toa que recomendo. São personagens críveis e bem delineados. Coisa bem feita e inteligente. Divirtam-se!

domingo, 8 de junho de 2008

Noite de Gala!

Aos poucos, Caio Jr. vai mudando a maneira do Flamengo jogar. A mudança de Jaílton por Jônatas aumentou a qualidade dos passes no meio de campo. O equilíbrio na alternância das laterais está dando mais segurança à defesa. A utilização de um meia armador tem melhorado, e muito, a ligação do meio campo com o ataque. Aliás, ontem foi o dia do meia. A entrada de Maxi no ataque ao lado de Souza permitiu que o Marcinho jogasse na posição de armador e ele estava iluminado ontem. Fez três gols, a assistência do primeiro do Souza e estava junto do atacante no quinto gol da noite; se o companheiro não fizesse, ele fazia.

Foi uma noite de sonho. O Souza fez dois! Ibson, longe ainda do jogador do brasileiro passado, melhorou em relação aos últimos jogos. Até o Toró jogou bem, fazendo menos faltas e conseguindo quatro desarmes.

O Flamengo começou o jogo fazendo uma marcação dura e, logo aos dois minutos, Marcinho roubou a bola, abriu com Maxi que devolveu para Marcinho, livre, marcar. O Figueirense sentiu e, a partir daí, não conseguiu mais se organizar. Aos 36, Souza protege a bola no campo ofensivo, toca para Juan que toca para Marcinho; o camisa 22 domina e lança milimetricamente para Souza, que, de cara para o gol, toca na saída de Wilson. Três minutos depois, Juan recebe passe de Souza, dribla um zagueiro e bate na saída do arqueiro adversário, que faz excelente defesa, mas dá rebote, que Marcinho aproveita para estufar a rede. Aos 45, linda jogada de Léo Moura que passa por dois jogadores, penetra a área e toca para Marcinho fazer o seu terceiro na noite, o quarto do Mengão. O primeiro tempo termina com oito chutes a gol do mandante contra apenas três do visitante.

A volta para o segundo tempo trouxe um Flamengo mais tranqüilo e com uma marcação mais leve. O Figueira voltou mais organizado e, em dez minutos, chutou quatro vezes a gol, mais que todo o primeiro tempo. Aos 10, o Fla faz sua primeira substituição: sai Jônatas, entra Kleberson. Aos 17, Toró pede para sair, cansado, Caio Jr surpreende e lança Obina, quatro a zero e o técnico quer mais, fazia tempo que eu não via isso no Flamengo. Aos 29, em seu melhor momento, o Figueirense, por meio de Wellington Amorim, com um chute forte de fora da área, obrigou Bruno a difícil defesa, mas a bola passou e bateu na trave. Aos 31, Maxi, que se entregou durante todo o jogo, saiu cansado para a entrada de Éder (lembra dele?); em outros tempos, teria entrado um cabeça de área (mais um ponto para Caio Jr.). Aos 42, Kléberson faz um lançamento primoroso, entre dois jogadores adversários, para Obina que, com tranqüilidade e de cabeça erguida, cruza na área, Wilson dá um toque na bola desviando-a, mas ela vai na direção de Souza que, livre, cabeceia para o fundo das redes. O árbitro nem quis dar acréscimo, apesar das cinco substituições que houve. A torcida fez uma linda festa.

Noite de gala, cinco gols que colocam o Flamengo na liderança do campeonato brasileiro, deixam-no com o ataque mais positivo da competição, bem como com o artilheiro. Sei que não dá para ganhar todas as partidas, muito menos com um placar elástico com este, mas dá para começar a tomar gosto pelo trabalho de Caio Jr.. Conseguimos visualizar, inclusive, algumas jogadas ensaiadas, coisa inexistente na era Joel. No próximo sábado, haverá um teste mais sério, com o atual campeão brasileiro, São Paulo. Que o mais querido do Brasil mantenha a pegada e consiga brilhar mais uma vez.

Saudações Rubro-Negras!!!

quarta-feira, 4 de junho de 2008

O Procurado - Trailer


Em Junho, mais precisamente no dia 27, estreará mais uma adaptação de quadrinhos. Embora não seja de super-heróis, a história é sobre uma liga de assassinos com habilidades surpreendentes. A HQ foi publicada por aqui, em abril de 2005, pela Mythos Editora em forma de minissérie em três edições.

Wesley Gibson (James McAvoy) é um fracassado que odeia sua vida por não ser tão importante quanto acha que deveria ser. Mas tudo isso muda quando ele descobre a verdade sobre seu pai e sua herança. Após a morte de seu pai, que os abandonou, ele e sua mãe, pouco depois de seu nascimento, ele é recrutado, pela bela e sexy Fox (Angelina Jolie), para a Fraternidade, uma sociedade secreta de assassinos altamente treinados.

A HQ é descompromissada e o filme parece que faz uma adaptação quase fiel à história de Mark Millar. Digo quase porque há uma diferença grande, mas que, creio, não afetará a adaptação. Nos quadrinhos, não havia uma liga de assassinos, mas uma sociedade de super-vilões. Naquele mundo, criado por Millar, os super-heróis existiram, mas desapareceram.

O elenco é bom. James McAvoy é conhecido pelo seu Mr Tumnus do primeiro filme das Crônicas de Nárnia e por seu trabalho em O Último Rei da Escócia, também está cotado para viver o Bilbo Bolseiro de O Hobbit; Angelina Jolie é velha conhecida do público e faz qualquer marmanjo delirar; Morgan Freeman é aquele ator que todos gostam, dono de um carisma enorme e de uma presença de cena fantástica. Há, ainda, a participação de Terence Stamp, o eterno General Zod de Superman.
Seguem dois trailers para dar um gostinho do que está por vir. Lembrem-se: é filme para se divertir, não para pensar. É mentiroso mesmo, mas faz parte da diversão.