O psicoterapeuta disse que sou hiperativo. A criação deste blog surgiu pouco depois de ser assim diagnosticado. Segundo o site especialista Hiperatividade (que já existia antes do meu blog, mas eu não sabia!), os portadores deste distúrbio são freqüentemente rotulados de "problemáticos", "desmotivados", "avoados", "malcriados", "indisciplinados", "irresponsáveis" ou, até mesmo, "pouco inteligentes". Mas garante que "criativo, trabalhador, energético, caloroso, inventivo, leal, sensível, confiante, divertido, observador, prático" são adjetivos que descrevem muito melhor essas pessoas. Eu, particularmente, creio que sou uma mistura disso tudo aí. Cheio de muitas idéias, muitos sonhos e muitos projetos. Muita vontade e muito trabalho. Muitas vertentes e muitas atividades. Sou editor-adjunto do Crônicas Cariocas. Não deixem de visitar minhas colunas: Cinematógrafo; Crônicas; Poesias; e HQs. Ah! Visitem o Magia Rubro Negra , site de apaixonados pelo Mengão, para o qual tive o prazer de ser convidado a fazer parte da especial equipe!!!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Ainda dá!

Antes que me perguntem, não vi o jogo contra o Coritiba. Estava na faculdade e só soube do resultado. Claro que fiquei feliz com o placar de 5 a 0 e fiquei impressionado, uma vez que nos últimos dois jogos, contra Atlético-MG e Vasco, não havíamos entrado em campo. Não esperava uma vitória com um placar tão elástico.
Ontem, mais uma vez, estava na faculdade. Cheguei a tempo de ver os últimos trinta minutos de jogo e este tanto que vi, lembrou-me os jogos anteriores ao Coritiba. Que joguinho ruim!
Não consigo parar de perguntar: qual o time titular do Flamengo? Qual a formação da equipe? Jaílton é zagueiro? Marcelinho Paraíba é atacante? Por que Toró, Jaílton, Ibson e Kleberson no mesmo time? Para quê compramos um monte de meias se só jogamos com volantes? Estas perguntas atormentam-me e só consigo achar um culpado: Caio Jr.. Faltam seis jogos para o final da temporada e não há quem consiga responder às minhas indagações.
Menos mal que o Cruzeiro venceu o Grêmio e deixou vivas as nossas esperanças. Porém, saímos do G-4 e ficamos a três pontos dos líderes Grêmio e São Paulo e a dois pontos dos terceiro e quarto colocados, Cruzeiro e Palmeiras. Em teoria, o tricolor paulista leva vantagem, pois não joga mais com nenhum dos candidatos ao título, mas será que conseguirá manter sua invencibilidade que já dura doze jogos? Não é impossível, mas é improvável. O tricolor gaúcho vem em uma descendente e periga ficar de fora da briga. Nós ainda enfrentaremos a celeste e o verdão e serão jogos dificílimos, entretanto, sempre gostei mais de jogar com os líderes do que contra quem está atrás. Tenho a impressão que o Fla rende mais assim.
A rodada foi ruim por um lado, mas, por outro, deixou todos embolados na briga. Ainda podemos acreditar. Teremos três jogos no Maracanã e temos obrigação de vencer. Tarefa ingrata, visto que temos que ganhar contra a Portuguesa, o Botafogo e o Palmeiras, num jogo de seis pontos a três rodadas do final. Difícil, mas eu creio que temos chances de conseguir. É necessário que a torcida apóie como apoiou na reta final do brasileiro passado.
Magia neles!!!

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Lost - 5ª Temporada

Galera, a nova temporada só estréia no início de 2009, mas, para dar um gostinho, saiu um trailer. O gosto é bom!
Quem não terminou de ver a quarta temporada, cuidado! Há pequenos spoilers para quem se encontra nesta situação. Agora, venhamos e convenhamos, não viu por quê?
video

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Rodada Boa!

Domingo, futebol, cerveja e bolinho de bacalhau. É sempre bom ganhar do pessoal da colina. Não importa se com gol de mão aos 48 do segundo tempo ou com um golzinho contra no fim do primeiro tempo. A caravela está afundando!!! E eu sigo cantando o sucesso da Luka: “Tô nem aí! Tô nem aí!”.
Mas, venhamos e convenhamos, o Mengão jogou muito pouco, muito aquém de suas possibilidades. A saída de bola já foi errada e quase proporcionou vantagem ao bacalhau. Não entendo o que está acontecendo. São muitos passes errados, muitas jogadas equivocadas. Mesmo os laterais estão abaixo do nível costumeiro. É certo que o time não consegue formar-se. No próximo jogo, não jogam Fábio Luciano e Juan. E a equipe vem toda diferente mais uma vez. Espero que o Caio Jr. coloque o Luizinho na lateral.
Faltam oito rodadas e não sabemos dizer qual é o time titular e, tampouco, a formação com que joga. Marcelinho Paraíba é atacante ou meia? Jogamos com dois atacantes ou com um só? Estas indefinições, por culpa do técnico ou não, prejudicam a campanha. Poderíamos estar brigando pelo primeiro lugar e não por uma posição no G4. Temos chance de título, mas temos que melhorar muito. Se o time dos caras não fosse fraco, teríamos levado uma pancada. Chutamos pouco a gol e o Bruno fez defesas muito boas, uma delas milagrosa.
A rodada foi muito favorável: nós ganhamos, o Grêmio perdeu e o Palmeiras e o São Paulo empataram. Resultado: estamos a apenas um ponto do G4 e a apenas quatro do líder. O único resultado desfavorável foi a vitória do Cruzeiro sobre o Atlético-MG, o que dá um sabor ainda mais amargo ao revés que sofremos na rodada passada. Mas vamos olhar para frente porque dá para chegar lá.
Ficou ainda mais fácil de acreditar no título, não?
Rumo ao hexa!!!
Magia neles!!!

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Sensacional!!!

Esta vai para o meu amigo Lex.

video

Eram domingos de pura magia, meu caro! Por isso, nunca mais me animei para assistir às corridas. Vejo uma ou outra e, mesmo assim, aos pedaços. É engraçado como ainda hoje bate uma tristeza ao falar sobre este cara. Acho que foi o meu maior ídolo. O único que se compara é o Galinho de Quintino, mas é outro esporte. A fórmula 1, para mim, nunca mais foi a mesma coisa.

This is England

Este é o meu outro favorito do Festival do Rio 2008.
Fazia tempo que um filme não mexia comigo como This is England conseguiu. Saí da sessão pensativo, cheio de vontade de voltar e assistir de novo. Não bastasse uma ambientação histórica muito bem feita e uma seleção de canções de fazer cair o queixo, a história do jovem Shaun comove e nos faz pensar na importância da figura paterna na nossa vida. O que sua ausência pode promover, aonde uma busca por substituição pode levar-nos. Não consegui parar de pensar em meu pai e em meus filhos até agora.
A história, baseada em eventos da infância do diretor e roteirista Shane Meadows, é de uma sensibilidade arrebatadora. O jovem ator Thomas Turgoose transmite uma emoção muito difícil de lidar e merece muitos louros pelo seu trabalho. É uma história simples, bela e cheia de filosofias, dualidades e conflitos éticos e morais. Em momento algum é didático ou patriota demais. This is England é acima de tudo auto-crítica, mostrando o que há de bom e o que há de ruim naquela Ilha.
Filmaço! Um dos melhores que vi no Festival e foi, creio, oportunidade única, pois não deve entrar no circuito nacional. É daqueles para se guardar em destaque nas prateleiras da memória.

A sinopse: “Shaun tem 12 anos e vive com a mãe em uma pequena cidade costeira na Inglaterra, em 1983. Solitário, sofre com a ausência do pai, morto na Guerra das Malvinas. No começo das férias escolares, conhece uma gangue de skinheads, na qual encontra a amizade e os modelos de comportamento que procurava. Numa festa, é apresentado a Combo, skinhead mais velho que acabou de sair da prisão e o adota como protegido. A postura racista do homem impressiona os jovens, mas todos o admiram, e logo a gangue começa a aterrorizar as minorias étnicas da vizinhança.”

video

O Menino do Pijama Listrado

Um dos meus favoritos no Festival do Rio 2008.
O menino do pijama listrado é um filme notável. Simples, mas soberbo. Uma história comovente, inacreditável e surpreendente. Os diálogos são maravilhosos, com finas e sutis ironias. David Thewlis e Vera Farmiga estão ótimos como os pais do menino, vivendo um casamento abalado pela posição que o marido alcançou.

O garoto que interpreta o infante Bruno é ótimo. Seu personagem é cativante, pela sede de aventura, pela meninice, pela curiosidade e pela inocência. Há momentos doces e deliciosos no filme, mas a mentira, ainda que contada para proteger o menino do mundo dos adultos, acaba por levar a um caminho sem volta.
O contraste entre a inocência de Bruno e o sofrimento de Shmuel é algo que impressiona. Mundos tão distantes separados por uma cerca de arame eletrificada. Entretanto, nada impede que uma grande amizade floresça daquilo que seria o improvável. Realmente belo!
Mais um filme com um protagonista muito jovem que mexe muito comigo. Este não é tão denso quanto This Is England, mas sua construção e seu desfecho fazem-nos marejar os olhos. Na verdade, havia gente chorando copiosamente na sessão. É pura emoção!


A sinopse: “Alemanha, 1940. Bruno tem oito anos e vive com sua família em Berlim. Quando seu pai, um oficial nazista, é promovido, ele é obrigado a abandonar seus amigos e se mudar para uma região deserta onde não há nada para fazer. Um dia, o menino ignora a proibição da mãe e anda até um misterioso local cercado, onde todos usam roupas listradas. Lá, ele conhece Shmuel, um garoto de sua idade que vive do outro lado da cerca. Os dois desenvolvem uma amizade proibida, que terminará por introduzir Bruno no terrível mundo dos adultos. Baseado no livro homônimo de John Boyne.”

video

Corrida Mortal

Trailer legendado do filme Corrida Mortal, cortesia da Universal Pictures Brasil.
video

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Padrão de Beleza

Adorei este vídeo. Uma grande mensagem!

video

Prostração


Em algum lugar, em algum instante,
Amores passados, presentes, futuros,
Em que o coração de alguém se encante.

Viver e sofrer no inferno de Dante,
Vomitando quimeras, sonhos morituros,
Buscando carinho e consolo na bacante.

Sem juras, esperança ou lenitivo,
Pra sentimentos não há corretivo,
Não importa se está o espírito ativo,
Tudo no corpo físico é aflitivo.

Não há loucura que me alucine,
Insano já me encontrava a limine,
Alienado, nada há que alumine,
Breu e solidão é o que fica in fine.

Nativo

Não sou brasileiro!
Sou mais antigo que isso.
Não havia Brasil ou cruzeiro,
Apenas a terra que piso.
Matas-virgens, água e caça,
Num tempo em que éramos tantos.
Nada de óleo, fumaça ou raça.
Antes do branco, seu Cristo, seus santos.
Massacrado, conquistado, catequizado.
Com a alcunha de índio, nomeado.
Destituído, humilhado, segregado.
Hoje, com um dia, celebrado.
Por vergonha, culpa, homenageado.
Lírico, folclórico, belo e enganado.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Ofélia!

Deus meu! O cara deve estar ficando senil. Só pode ser isso. Será que não aprendemos a lição com o América do México? Convocar a torcida é uma coisa, pagar mico é outra! Como já disse Romário, sobre outra pessoa, há um tempo atrás: “Calado, é um poeta!”. Será que não vê que ao fazer este tipo de coisa ele sobrecarrega o time com uma pressão desnecessária? Que nós, a torcida, vamos cobrar? Que os times adversários jogarão com ainda mais afinco porque mexeram com o brio deles? Ou é cego ou é burro ou, no mínimo, é louco!
Não basta o vexame da despedida do Joel, com festa, bebedeira, pagode e confete? O próprio Natalino avisou sobre o oba-oba antes do jogo. Mas não, tinha que haver uma grande festa. Se ela teve a ver com a derrota e o vexame, não importa! O mico continua o mesmo. Mas o louco deve gostar dos bichinhos. Vive procurando um!
Não é que não confio que possamos conquistar o título, não é isso mesmo. Acredito que temos time para isso, mas nem sempre o melhor ou o mais preparado ou o mais sortudo vence. Já vimos isso. Este ano então, que, pela primeira vez na era dos pontos corridos, há tantos times lutando pelo título. Sou do time que acredita que não se deve cantar vitória antes da hora. Não o faria nem se estivesse quatro pontos à frente; imagina estando quatro pontos atrás. Romário é uma raposa; a frase que ele usou para falar sobre o seu desafeto serve como uma luva agora.
Não precisamos mexer com o brio das outras equipes e das outras torcidas. Só temos que fazer nosso trabalho. A torcida irá ao Maraca porque o time está lutando, conseguiu três vitórias seguidas e está embalado. Para quê jogar tanta pressão em cima dos jogadores? Para quê contaminar a torcida e a fazer cobrar ainda mais? O cara é o Presidente do Clube; deveria ter um mínimo de discernimento, de noção. Mas não, tem que abrir a boca para falar besteira. Sempre! Só há uma coisa a dizer: “Cala a boca, Ofélia!”.
Magia Neles!