O psicoterapeuta disse que sou hiperativo. A criação deste blog surgiu pouco depois de ser assim diagnosticado. Segundo o site especialista Hiperatividade (que já existia antes do meu blog, mas eu não sabia!), os portadores deste distúrbio são freqüentemente rotulados de "problemáticos", "desmotivados", "avoados", "malcriados", "indisciplinados", "irresponsáveis" ou, até mesmo, "pouco inteligentes". Mas garante que "criativo, trabalhador, energético, caloroso, inventivo, leal, sensível, confiante, divertido, observador, prático" são adjetivos que descrevem muito melhor essas pessoas. Eu, particularmente, creio que sou uma mistura disso tudo aí. Cheio de muitas idéias, muitos sonhos e muitos projetos. Muita vontade e muito trabalho. Muitas vertentes e muitas atividades. Sou editor-adjunto do Crônicas Cariocas. Não deixem de visitar minhas colunas: Cinematógrafo; Crônicas; Poesias; e HQs. Ah! Visitem o Magia Rubro Negra , site de apaixonados pelo Mengão, para o qual tive o prazer de ser convidado a fazer parte da especial equipe!!!

domingo, 8 de junho de 2008

Noite de Gala!

Aos poucos, Caio Jr. vai mudando a maneira do Flamengo jogar. A mudança de Jaílton por Jônatas aumentou a qualidade dos passes no meio de campo. O equilíbrio na alternância das laterais está dando mais segurança à defesa. A utilização de um meia armador tem melhorado, e muito, a ligação do meio campo com o ataque. Aliás, ontem foi o dia do meia. A entrada de Maxi no ataque ao lado de Souza permitiu que o Marcinho jogasse na posição de armador e ele estava iluminado ontem. Fez três gols, a assistência do primeiro do Souza e estava junto do atacante no quinto gol da noite; se o companheiro não fizesse, ele fazia.

Foi uma noite de sonho. O Souza fez dois! Ibson, longe ainda do jogador do brasileiro passado, melhorou em relação aos últimos jogos. Até o Toró jogou bem, fazendo menos faltas e conseguindo quatro desarmes.

O Flamengo começou o jogo fazendo uma marcação dura e, logo aos dois minutos, Marcinho roubou a bola, abriu com Maxi que devolveu para Marcinho, livre, marcar. O Figueirense sentiu e, a partir daí, não conseguiu mais se organizar. Aos 36, Souza protege a bola no campo ofensivo, toca para Juan que toca para Marcinho; o camisa 22 domina e lança milimetricamente para Souza, que, de cara para o gol, toca na saída de Wilson. Três minutos depois, Juan recebe passe de Souza, dribla um zagueiro e bate na saída do arqueiro adversário, que faz excelente defesa, mas dá rebote, que Marcinho aproveita para estufar a rede. Aos 45, linda jogada de Léo Moura que passa por dois jogadores, penetra a área e toca para Marcinho fazer o seu terceiro na noite, o quarto do Mengão. O primeiro tempo termina com oito chutes a gol do mandante contra apenas três do visitante.

A volta para o segundo tempo trouxe um Flamengo mais tranqüilo e com uma marcação mais leve. O Figueira voltou mais organizado e, em dez minutos, chutou quatro vezes a gol, mais que todo o primeiro tempo. Aos 10, o Fla faz sua primeira substituição: sai Jônatas, entra Kleberson. Aos 17, Toró pede para sair, cansado, Caio Jr surpreende e lança Obina, quatro a zero e o técnico quer mais, fazia tempo que eu não via isso no Flamengo. Aos 29, em seu melhor momento, o Figueirense, por meio de Wellington Amorim, com um chute forte de fora da área, obrigou Bruno a difícil defesa, mas a bola passou e bateu na trave. Aos 31, Maxi, que se entregou durante todo o jogo, saiu cansado para a entrada de Éder (lembra dele?); em outros tempos, teria entrado um cabeça de área (mais um ponto para Caio Jr.). Aos 42, Kléberson faz um lançamento primoroso, entre dois jogadores adversários, para Obina que, com tranqüilidade e de cabeça erguida, cruza na área, Wilson dá um toque na bola desviando-a, mas ela vai na direção de Souza que, livre, cabeceia para o fundo das redes. O árbitro nem quis dar acréscimo, apesar das cinco substituições que houve. A torcida fez uma linda festa.

Noite de gala, cinco gols que colocam o Flamengo na liderança do campeonato brasileiro, deixam-no com o ataque mais positivo da competição, bem como com o artilheiro. Sei que não dá para ganhar todas as partidas, muito menos com um placar elástico com este, mas dá para começar a tomar gosto pelo trabalho de Caio Jr.. Conseguimos visualizar, inclusive, algumas jogadas ensaiadas, coisa inexistente na era Joel. No próximo sábado, haverá um teste mais sério, com o atual campeão brasileiro, São Paulo. Que o mais querido do Brasil mantenha a pegada e consiga brilhar mais uma vez.

Saudações Rubro-Negras!!!

video

Um comentário:

Pedro Henrique disse...

Meu time deu um chocolate no teu rival aqui hoje. Fui no jogo com chuva e tudo. Ainda deram um penalti no Dodô que não existiu.

Abraço!