O psicoterapeuta disse que sou hiperativo. A criação deste blog surgiu pouco depois de ser assim diagnosticado. Segundo o site especialista Hiperatividade (que já existia antes do meu blog, mas eu não sabia!), os portadores deste distúrbio são freqüentemente rotulados de "problemáticos", "desmotivados", "avoados", "malcriados", "indisciplinados", "irresponsáveis" ou, até mesmo, "pouco inteligentes". Mas garante que "criativo, trabalhador, energético, caloroso, inventivo, leal, sensível, confiante, divertido, observador, prático" são adjetivos que descrevem muito melhor essas pessoas. Eu, particularmente, creio que sou uma mistura disso tudo aí. Cheio de muitas idéias, muitos sonhos e muitos projetos. Muita vontade e muito trabalho. Muitas vertentes e muitas atividades. Sou editor-adjunto do Crônicas Cariocas. Não deixem de visitar minhas colunas: Cinematógrafo; Crônicas; Poesias; e HQs. Ah! Visitem o Magia Rubro Negra , site de apaixonados pelo Mengão, para o qual tive o prazer de ser convidado a fazer parte da especial equipe!!!

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Magia no Recreio

É impressionante como um dia que começou como qualquer outro e que não prometia nada de diferente pode mudar de repente. Posso dizer que, graças ao Magia Rubro-Negra, meu dia de ontem foi mágico. Explico: acordei cedo e fui trabalhar normalmente. Aquele trabalho muito “divertido”, trancado dentro de um escritório sem janelas, fazendo toda aquela burocracia de sempre. Eis que, sem menos esperar, recebo uma ligação que mudaria meu dia da água para o vinho.
Quem estava do outro lado da linha era Fábio Justtino. Ele veio com um convite inusitado. Confesso que pensei que fosse trote ou, como chamamos hoje, uma pegadinha. Dizia ele que um grupo de pessoas iria ao CFZ encontrar o Zico e perguntou se eu poderia ir. Como eu poderia negar este “sacrifício” ao meu amigo? Encontrar o maior ídolo esportivo que eu já tive? O cara que é o motivo de eu ser Flamengo? Tipo de “sacrifício” que a gente faz com um sorriso enorme no rosto, feliz como a criança que eu era quando o via jogar.
O negócio era o seguinte: eu tinha que estar, às quinze horas, no posto 12, no Leblon, para encontrar um tal de Moraes. Perguntei como faria isso e ele respondeu meio que com um sorriso de incredulidade: “ora, é só ver um grupo de flamenguistas reunido”.
Saí correndo do centro da cidade e fui para o Leblon. Dito e feito. Um grupo de flamenguistas começava a se formar. Como não podia deixar de ser, todos animados e ansiosos em encontrar o ídolo, o eterno galinho. Foi quando eu conheci o tal Moraes. O cara é uma lenda viva também. Francisco Albertino Moraes é um torcedor das antigas, um dos líderes da Raça Rubro-Negra, que acompanhou o Flamengo em suas viagens, de 1973 a 1993, para todos os lugares do mundo, do Iraque à Líbia, passando pelo Zaire, Arábia Saudita, Kuwait, Japão, Trinidade e Tobago, Marrocos, Bahrein, Gabão, Argélia, Angola, África do Sul, Tunísia, USA, praticamente todos os países da Europa, da América do Sul e Central. Suas aventuras estão no seu site: História de Torcedor. Na seção Opinião, ele também falou sobre o dia de ontem, não deixem de conferir.
Moraes organizou os carros e seguimos viagem. Peguei carona com um novo amigo, Pedro, torcedor apaixonado como eu. Também conosco, um primo do Pedro, que pegamos no caminho, e um casal de baianos, mãe e filho, representantes da torcida FlaBahia, que vieram ao Rio apenas para este encontro. O filho, um pequeno rapaz bem maior que eu; e olha que eu tenho um metro e oitenta e três.
Bom, chegamos ao CFZ e o Moraes começou a organizar o grupo. Éramos, aproximadamente, quarenta pessoas. Ganhamos, cada um de nós, o livro Zico Conta Sua História e fomos encontrar o ídolo. Ele nos recebeu com um sorriso no rosto e uma simpatia gigantesca. O pequeno gigante baiano não segurou a emoção e chorou por estar realizando seu grande sonho de conhecer o Zico. Prontamente, o galinho disse: “Que é isso, cara? O Flamengo é alegria, não precisa chorar não!”. Mas também não perdoa; apareceu por lá um repórter das antigas e Zico mandou a seguinte letra: “Esse aqui é Botafogo, sofreu muito comigo!”.
Zico não é ídolo à toa. Sua qualidade e habilidade, como jogador de futebol, são inegáveis e inquestionáveis, bem como seu profissionalismo. Mas isso não é tudo. Ele é de um carinho enorme com toda a sua torcida. Chegamos e ele cumprimentou cada pessoa, apertou mãos, distribuiu abraços e beijos. Autografou tudo o que pediram que autografasse, bonés, fotos, pôsteres, revistas, livros, camisas e mais camisas, inclusive duas de dois garotos tricolores que apareceram por lá. Tirou centenas de fotos com todos os que estavam presentes. Em momento algum, demonstrou cansaço, desgosto, enfado ou irritação. Pelo contrário, esbanjou simpatia e atenção. Foram duas horas de pura magia ao lado de um ídolo inesquecível. Vale lembrar que a FlaTV estava por lá e registrou o encontro.
Ser Flamengo é algo indescritível. Ainda estou com um sorriso largo no rosto. Essa emoção nenhum arcoiriano sente igual. É uma paixão que eleva o coração rubro-negro, fazendo pulsar ainda mais forte. Não somos torcedores, somos cidadãos da nação rubro-negra. E o galinho personifica todo esse amor que sentimos, ainda hoje; basta observar os olhos dos meninos que treinavam no CFZ e, após o treino, vieram, também, buscar autógrafos do craque em seus uniformes e chuteiras.
Foi uma tarde inesquecível, mágica. Um presente inesperado que ganhei e que vou levar comigo o resto da minha vida. Em suma, ser Flamengo e ter um ídolo como Zico é a expressão maior da felicidade!

10 comentários:

Pedro disse...

Ficamos famosos!!! deu pra ver a gente na reportagem!! hehehehehe
Abraços!!
Pedrp

Nassor disse...

Parabéns..
Um dia também consigo realizar o meu sonho.
Espero que meu ídolo viva até lá.

Neto Morais disse...

Cara agora vc me fez inveja, pow Zico vei, caralho. Eu sou flamenguisa tbm, quem dera conhecer Zico.

Sr.F disse...

Eu sou Palmeirense, mas sou fã do Zico, torço muito pro Ricardo teixeira ficar gagá e o Zico ir treinar a seleção. Você é roteirista? Eu to tentando começar nisso, to fazendo um curso de cine com o Walter Webb, percebi que o roteiro parece ser a minha praia no meio...

Ana Lucia disse...

minha torcida não é para o flamengo, mas gosto muito do Zico...acho que ele é um dos poucos jogadores de futebol que consegue atrair fãs de todas as torcidas...uma dessas pessoas sou eu.

Euzer Lopes disse...

Você transparece nas palavras a mesma sensação que uma criança tem na manhã do dia 25 de dezembro, depois de passar o ano todo esperando pela noite anterior para ganhar a tão sonhada bicicleta.

Pedro Henrique disse...

Opa, Zico é o cara. Bela foto e belo texto apaixonado. Parabéns!

Abraço!

Flavio Guberman disse...

estou de relacionamento cortado com você, Fabríco, porque tu foste a tal ágape - quiçá convescote - e não me levaste.
Isso é que é egoísmo, o resto....
Mas, em sério, de fato, oportunidade mais que única...
parabéns

Red Dust disse...

Que jóia. Que maravilha poder conhecer um super-craque como Zico. Curiosamente foi um dos nomes falados cá em Portugal para ser treinador do Benfica. A escolha acabou por recair em Quique Flores.

E Ibson? Tem feito boa carreira? Fica ou volta a Portugal?

Abraço.

Tito disse...

Pedro, famosos eu não sei, mas felizes... como ficamos!

Nassor, Zico é eterno!

Neto, não foi intencional fazer inveja, mas acabei fazendo pra muita gente.

Sr. F, fiz o curso de pós-graduação em roteiro para cinema e estou tentando entrar no mercado. Creio que vale a pena, pois está crescendo.

Ana, vocÊ tem toda razão. Zico é um daqueles poucos jogadores que tem a simpatia de quase todas as torcidas.

Euzer, acho que o sentimento é bem parecido mesmo.

Pedro Henrique, valeu!

Flavio, não corte. Na próxima vez, levo você.

Red, foi realmente maravilhoso poder estar com meu ídolo. Pelo que eu soube, há um acerto para o Ibson ficar até junho do ano que vem. Há uma matéria sobre isso no site do Magia Rubro-Negra. O link está nos meus favoritos.

Abraço, galera!