O psicoterapeuta disse que sou hiperativo. A criação deste blog surgiu pouco depois de ser assim diagnosticado. Segundo o site especialista Hiperatividade (que já existia antes do meu blog, mas eu não sabia!), os portadores deste distúrbio são freqüentemente rotulados de "problemáticos", "desmotivados", "avoados", "malcriados", "indisciplinados", "irresponsáveis" ou, até mesmo, "pouco inteligentes". Mas garante que "criativo, trabalhador, energético, caloroso, inventivo, leal, sensível, confiante, divertido, observador, prático" são adjetivos que descrevem muito melhor essas pessoas. Eu, particularmente, creio que sou uma mistura disso tudo aí. Cheio de muitas idéias, muitos sonhos e muitos projetos. Muita vontade e muito trabalho. Muitas vertentes e muitas atividades. Sou editor-adjunto do Crônicas Cariocas. Não deixem de visitar minhas colunas: Cinematógrafo; Crônicas; Poesias; e HQs. Ah! Visitem o Magia Rubro Negra , site de apaixonados pelo Mengão, para o qual tive o prazer de ser convidado a fazer parte da especial equipe!!!

sábado, 5 de abril de 2008

Joel?


Sei que não sou profissional do futebol e que sempre fui um perna de pau jogando. Por isso, não jogo há muitos e muitos anos. Mas sou apaixonado pelo esporte e, principalmente, pelo meu clube, o Flamengo. Acompanho os jogos, torço alucinadamente, digo que o time é o melhor do mundo, mesmo sabendo que não é, sei os nomes dos jogadores, suas posições e suas habilidades. Enfim, coisas que qualquer torcedor que se preze faz e sabe.

O que eu não consigo entender é a cabeça do treinador. Sei que o Joel livrou-nos de um rebaixamento de forma milagrosa, que nos levou da última posição ao terceiro lugar no brasileiro do ano passado, mas não consigo entender e concordar com certas opções dele.

Levar um time reserva para jogar com o Vasco é indiscutível. Primeiro, porque este jogo não vale coisa alguma; segundo, que o momento na Libertadores é delicado e, como campeonato, vale muito mais do que este estadual sem graça.

O que não entendo é promover a volta de Jaílton e de colocar o Toró no meio de campo empurrando o Renato Augusto para o ataque. O próprio camisa 10 não gosta de jogar no ataque e vinha, desde que se recuperou da lesão na face, jogando em sua posição de origem e jogando bem. Melhor do que no ataque, sem dúvida.

Deixar Kléberson, Marcinho ou Diego Tardelli fora do time principal é de moer a minha cuca. Por mais que o Tardelli tenha passado por uma fase irregular, ele é muito mais jogador que o Toró ou o Jaílton, o que não justifica empurrar o Renato para o ataque. Pelo menos não para mim e para boa parte da torcida.

Outra coisa que não consigo entender é: no início do ano, o Fla contratou um jogador chamado Éder para o ataque, que veio do Guarani, com direito a entrevista na FlaTV e tudo; por onde anda este jogador que nunca foi aproveitado nem no time principal nem no reserva?

Um comentário:

Pedro Henrique disse...

Grêmio, Grêmio, Grêmio......hehehe