O psicoterapeuta disse que sou hiperativo. A criação deste blog surgiu pouco depois de ser assim diagnosticado. Segundo o site especialista Hiperatividade (que já existia antes do meu blog, mas eu não sabia!), os portadores deste distúrbio são freqüentemente rotulados de "problemáticos", "desmotivados", "avoados", "malcriados", "indisciplinados", "irresponsáveis" ou, até mesmo, "pouco inteligentes". Mas garante que "criativo, trabalhador, energético, caloroso, inventivo, leal, sensível, confiante, divertido, observador, prático" são adjetivos que descrevem muito melhor essas pessoas. Eu, particularmente, creio que sou uma mistura disso tudo aí. Cheio de muitas idéias, muitos sonhos e muitos projetos. Muita vontade e muito trabalho. Muitas vertentes e muitas atividades. Sou editor-adjunto do Crônicas Cariocas. Não deixem de visitar minhas colunas: Cinematógrafo; Crônicas; Poesias; e HQs. Ah! Visitem o Magia Rubro Negra , site de apaixonados pelo Mengão, para o qual tive o prazer de ser convidado a fazer parte da especial equipe!!!

terça-feira, 8 de abril de 2008

Bolsa-ditadura

Vocês leram a coluna da Míriam Leitão, no O Globo de hoje, sobre a bolsa-ditadura? E a cartinha do cartunista e jornalista Ziraldo que parece piada do Pasquim? Dá vontade de chorar pelo que fazem com o nosso dinheiro. Míriam, em sua coluna, faz uma pergunta pertinente: “em que texto marxista eles encontraram tal lógica?”. Ziraldo disse que o Brasil deve a ele. Por quê? Porque ele quis fazer críticas em um período ditatorial? Mas isso não foi opção dele? Não estou entrando no mérito se foi certo ou errado, se foi louvável ou não, mas foi decisão dele lutar pelo que acreditava. Ele sabia de todos os riscos. Ele não foi perseguido sem motivo. Mais uma vez não questiono se os motivos do governo da época estavam certos ou não, se eram válidos ou não, apenas o fato de que quem quer que o fizesse sabia dos riscos e o fazia por ideais. Estão jogando fora seus ideais e sua coragem por dinheiro, transformando sua luta da juventude em plano de aposentadoria, como diz o próprio Ziraldo. Quanto será a indenização de personagens públicos como Caetano Veloso e Juca Chaves? É vergonhoso! Ziraldo ainda diz que a reparação mensal de aproximadamente R$ 4 mil não soa como reparação, mas como complemento de aposentadoria, pois sua aposentadoria, depois de 60 anos de carteira assinada, é de apenas R$ 1,3 mil. Ora, este problema é outra vergonha, mas é problema de 90% dos aposentados do país. O que tem uma coisa a ver com a outra?
Este revanchismo da nossa suposta esquerda está acabando com o país. Nosso Exército vive um sucateamento nunca visto antes, em um momento complicado da nossa história. Vivemos sobre os olhos grandes da Venezuela e seus comparsas sul-americanos, amiguinhos do nosso presidente, querendo nossas riquezas. Fora o olho gordo das potências de primeiro mundo, sobretudo o país do “bonzinho” Bush, em nosso maior bem, a Amazônia. Em vez de investirmos em nossa segurança, com um exército bem armado e bem treinado, estamos pagando indenizações milionárias a Ziraldos da vida, enquanto o exército não tem dinheiro para alimentar seus soldados direito, nem para comprar equipamentos ou manter os antigos que tem.
Concordo com a Míriam que há casos e casos e que, em alguns, a indenização do Estado faz sentido, mas não para aqueles que seguiram suas vidas normalmente depois de um período atribulado. Ora, o período atribulado foi vivido por todo o país, não por alguns. Claro é que sofrimento não se mede com dinheiro, ainda mais nesta proporção. Tudo isso não passa de um roubo ao erário.
A bolsa-ditadura nada mais é que a dita dura no rabo do país!

Um comentário:

Xupacabr@ disse...

É meu amigo, é por essas e outras, que criei e mantenho o www.averdadesufocada.com